#Resenha: Depois de Você

Hoje teremos a primeira resenha do blog, quem já leu Depois de Você provavelmente amará, e quem não leu ainda e está aqui para saber se compra ou não, cuidado: contém spoilers, gosto de falar tudo o que penso sem censurar informação nenhuma.




Aviso: Contém spoilers (principalmente do primeiro livro)
Autor(a): Jojo Moyes
Editora: Intrínseca
Ano de publicação: 2016

Classificação:  

OBS: Se quiser evitar os spoilers, fique à vontade pra ir lá no final do post e comprar o livro ;)

Resumo: Louise ainda não havia superado a morte de Will. Morando num apartamento londrino, ela trabalha como garçonete em um bar no aeroporto onde o chefe é um verdadeiro cuzão. 
Um dia, após beber muito, ela esqueceu que não tinha mais 5 anos de idade e resolveu andar muito perto da beira da cobertura do prédio e, ao ouvir a voz de uma garota chamando-a, desiquilibrou-se e caiu. 
Por causa do acidente, ela é obrigada a voltar para a casa da família (que pensa que ela tentou suicídio), e depois de se recuperar, ela resolve participar de um grupo de apoio para quem sofre luto.
No grupo, ela descobre que o responsável de um dos participantes é Sam, o paramédico que salvou sua vida, e bom... o resto é um pouco previsível, né?

Minha opinião: Talvez algumas pessoas me odeiem por isso, mas pra mim esse é ainda melhor do que o primeiro simplesmente por abordar um teminha maravilhoso chamado feminismo. ♥
Durante quase todo o livro, achei o pai da Louise um belo de um bosta. "Ah, mas por quê?". Porque ele passou quase o tempo todo brigando com a esposa por motivos idiotas, como por exemplo, abandonar a depilação ou comprar uma torta pronta em vez de fazer uma caseira. Ela aprendeu mais sobre feminismo, e isso fez ela perceber que passou muito tempo da vida dela vivendo mais pelos outros do que por si mesma, e ele, por ser um imbecil, achou um absurdo que ela vivesse por si mesma pelo menos um pouco, e até acusou-a de abandonar a família, porque né? Onde já se viu uma mãe de família estudar? 
Porém, no final, ele cansou de tanto ser um cretino brigar e resolveu depilar as pernas para entender um pouco sobre o que as mulheres passam no dia a dia. Isso o levou a pedir desculpas à esposa, e até a dizer algo como: "Como alguém pode achar que se depilar é uma boa ideia? Isso é horrível, ninguém devia fazer isso" (detalhe que ele já fez um escarcéu por depilar as pernas, imagina se ele soubesse a dor que é depilar a vagina?).

Uma coisa que também acho importante destacar foi o que aconteceu com Lily: quando ela estava em uma festa com os amigos, rolou aquela "brincadeira" de desafiar o coleguinha, e o desafio da Lily era transar com um dos babacas que estava junto. A princípio ela não queria, mas ficaram provocando ela, chamando-a de medrosa, e como muitos adolescentes possuem auto estima baixa (aquela necessidade de se mostrar corajoso, auto suficiente e fodão), ela acabou cedendo.
O que aconteceu? O fdp gravou um vídeo do que eles aprontaram juntos e ameaçou mandar pra todo mundo caso ela não desse uma certa quantia de dinheiro para ele. E ok, a família dela tinha dinheiro, só que ela era problemática e a mãe era desnaturada a ponto de trocar as fechaduras para que a filha não entrasse em casa (por isso ela foi morar com Lou, e sim, era ela a garota chamando-a no telhado). Ou seja, ela não tinha grana.
Um dia, um colega de trabalho do pai dela viu que ela estava sendo ameaçada por um garoto e decidiu intervir, pegando o celular do jovem e oferecendo carona para Lily. Entretanto, ele usou o celular como chantagem para que a garota transasse com ele também, e com medo, ela deu um jeito de fugir (arrependida por não ter pegado o celular).

Quem leu o primeiro livro já deve imaginar que, ao saber, Louise ficou do lado de Lily, óbvio. O que eu achei interessante nesses livros é que tanto no primeiro, quanto no segundo, não é apenas abordado o drama de tentar salvar (em vão) uma pessoa amada de cometer suicídio, mas também a questão do assédio sexual.
Pra quem não leu o primeiro livro, Louise já foi abusada por um grupo de homens quando estava bêbada, e tanto a mãe quanto a irmã achavam que a culpa era dela, por ter bebido demais. A primeira pessoa a entendê-la foi Will, que deixou claro que ninguém tem direito de abusar de uma mulher de forma alguma, sob nenhuma circunstância (principalmente se a mesma estiver numa condição vulnerável).
 Foi assim que Louise parou de se envergonhar e se culpar pelo que sofreu.

Tudo bem que isso é apenas uma ficção, mas tendo em mente que na realidade essas coisas acontecem mesmo, é necessário que tomemos a história (tanto de Louise como de Lily) como um exemplo: se você passou/passa por isso, denuncie sem medo (existe denúncia anônima também). E se você conhece alguma pessoa que está com esse tipo de problema, não a culpe. Assédio sexual é crime e a culpa nunca é da vítima.
Achei maravilhoso que isso tenha sido mostrado em um livro de sucesso, só não botei o coraçãozinho de favorito na classificação porque não sou boa em favoritar nada.


Compre nas Lojas Abaixo:




Share:

0 Fumados comentaram aqui

E aí, o que achou do post? Gostou? Odiou? Achou uma bosta e tá a fim de dizer que sou um lixo, me mandar pra puta que pariu? Comenta aí!

Obs: Não pagarei seu cardiologista nem seu psicólogo/psiquiatra caso acabe precisando.