O feminismo se opõe a Deus?

Há uns meses atrás, na aula de Teorias da Comunicação, aprendemos sobre a história do feminismo e debatemos sobre ele.
Uma das alunas, que era evangélica, perguntava repetidamente se o feminismo é contra Deus ou contra as leis de Deus. E o professor (sim, ele é  pró-feminista! ♥), explicava calmamente que não. Ele é contra os estereótipos pregados pelas religiões cristãs, mas não contra Deus.
O  que me deu ideia para um post.
Antes que isso possa causar alguma polêmica (vai que ela tá lendo isso?), vou avisando: esse post não é uma crítica às perguntas que ela fez, porque eu entendo a posição dela.
Apenas me deu vontade de falar sobre o assunto, e o que eu vou falar a seguir não é sobre ela, e sim sobre como o feminismo se posiciona diante de religiões.

Retomando, o feminismo "prega" liberdade.
Ele diz que todos devemos ser livres para acreditarmos no que quisermos (ou não acreditarmos em nada), e seguirmos os dogmas das religiões que quisermos (ou não seguir nenhum).
Ele só é contra você sair por aí exigindo que outras pessoas sigam a mesma religião que você, ou exigir que outras pessoas sigam determinadas regras (como casar virgem, por exemplo), mesmo se elas não forem da mesma religião que você.

Nós, feministas, somos contra a opressão apenas. Faça de sua vida o que quiser, mas não queira controlar a dos outros.
Não podemos te chamar de burro(a) por acreditar em Deus, se formos ateias. Nem podemos te xingar por ser herege, se formos católicas, evangélicas, etc.
Um dos Dez Mandamentos é amar ao próximo como a ti mesmo, então chega a ser contraditória a atitude de certas pessoas de usar a religião para julgar e ofender outras pessoas. Tipo o Marco Feliciano, por exemplo.
Muitos religiosos se sentem muito mal representados por ele, justamente por causa do mandamento que acabei de citar: o objetivo da religião deles é espalhar o amor, não o ódio e a intolerância.

A mesma coisa é o feminismo: nosso objetivo são os direitos iguais entre mulheres e homens, brancos e negros, héteros e LGBT's.
Sem ódio, sem intolerância.
Apenas queremos que todos tenham a chance de conquistar seja o que for e viver em paz.





Share:

0 Fumados comentaram aqui

E aí, o que achou do post? Gostou? Odiou? Achou uma bosta e tá a fim de dizer que sou um lixo, me mandar pra puta que pariu? Comenta aí!

Obs: Não pagarei seu cardiologista nem seu psicólogo/psiquiatra caso acabe precisando.