Mulheres: elas não são apenas um rostinho bonito

Inclusive, elas nem precisam ter um rostinho bonito para fazer sucesso na vida. Resolvi usar a imagem da Frida Kahlo no post porque já vi o filme dela na Netflix. A pintora de monocelha que sofreu um acidente, era apaixonada por um homem lixo, e mesmo estando de cama, deu um jeito de ir na sua exposição mesmo assim. Numa época antiga, em que as pessoas duvidavam muito mais da mulher do que duvidam hoje.
Uma das suas frases era : "pés, para que os quero se tenho asas para voar?".
A minha frase, como eu gosto de escrever e estou cursando jornalismo pra trabalhar com isso, é:
"Rostinho bonito, por que eu preciso disso se eu escrevo com as mãos?"
Rsrs.
Frida Kahlo não precisou de um rosto bonito pra fazer sucesso com suas pinturas, então por que nós, mulheres em geral, precisamos nos preocupar com aparência?
É creme pra rugas, creme pra estrias, creme pra celulite... minhas estrias não vão me impedir de escrever.
Por enquanto trabalho em mercado, e não me incomodo em bater depósito, mesmo sendo pesado. Porque eu tenho braços e pernas, só porque não sou considerada forte não significa que eu não seja.
Uma vez um colega de trabalho me questinou por carregar peso. E eu falei que não era tão fraca quanto alguns pensam que sou.
E ele perguntou: "com esse bracinho?".
"Mas e aqueles garotos magrelos que puxam pallets pesados? Por que ninguém fala deles?", respondi.
"Eles são magros, mas são fortes aqueles desgraçados" foi o argumento que ele usou. E eu falei "a mesma coisa comigo".
Sou magra, sou mulher, mas se eu carrego peso, é porque eu consigo carregar peso, simples assim.
Quando se trata de rebater o feminismo, sempre dizem "mas carregar cimento na obra não querem, né?". Em primeiro lugar, existe carrinho de mão pra isso. Em segundo lugar, como carregar cimento na obra, se não nos deixam carregar uma simples caixa achando que nossos braços vão cair por causa disso?
Somos mais que nossa feminilidade.
Somos mais que nosso rímel, nosso batom, nossa base, nosso blush.
Somos mais que nosso cabelo arrumado, nosso corpo magro ou gordo.
Somos mais que nosso rosto bonito e nem precisamos ter um rosto bonito.

Se minha cara se encher de rugas, se eu engordar, se eu me encher de celulites e minhas estrias (que por enquanto são só na bunda), aparecerem em lugares que qualquer um vê, vou continuar fazendo o que faço.
Vou continuar correndo atrás dos meus objetivos. 

Eu não faço questão de usar maquiagem diariamente, uso quando quero. E quem quiser mandar no que eu uso, que pague minhas contas.
Eu vou me formar estágio, achar emprego na área, quem sabe escrever um ou mais livros.
O blog vai subir, vai ter canal no YT também. 
Minha cara, com dentes tortos e tudo, vai aparecer nos vídeos. Vou lá fazer piadinha num vídeo e falar sobre coisa séria no outro. Comunicação social, filho.

Poucos são os tipos de trabalho que precisam de um rosto bonito pra serem bem feitos: só consegui pensar em modelo e prostituta.
Modelo porque eles querem vender um produto, e pro produto ser vendido, ele tem que ficar bem na modelo, tem que dar aquela impressão de "você vai ficar linda com isso", e se ela não ficar linda, ninguém vai querer. 
Prostituta, porque... não vou falar pra não ter que botar o "+18" no blog por suposta apologia à prostituição rsrsrs. 
Deixa quieto, esqueçam que vocês leram isso.

Pra finalizar o post, vou quebrar a imagem que eu passei aqui com uma zoeira que postei nas redes sociais há séculos atrás:
Como seria o conteúdo do blog se eu tentasse me encaixar no padrão de blogueirinha bonita?

É por isso que eu nem tento. Gostaram do post de hoje? Comentem ;)

Share:

3 Fumados comentaram aqui

  1. Perfeito seu texto, Amanda. Essa ideia de que mulheres não podem isso, não podem aquilo, não estão preparadas para aquele outro... não passa de bobagem discriminatória. Se você pensar bem, o conceito é muito simples: não há razões válidas para pensar que uma mulher é menos astuta, inteligente, preparada ou capaz do que um homem. Somos todos seres humanos, e as pessoas não deviam fomentar essas ideias de "coisa de homem"/"coisa de mulher".
    Sobre carregar peso, não pense que são apenas as mulheres que sofrem essa amolação. As pessoas com deficiência também, e pior ainda.
    É um tanto trágico, Amanda, notar que muitas das coisas que você relata, sendo mulher, eu observo perfeitamente, sendo cego.
    Algumas pessoas pensam que a falta de visão nos torna fracos, um tanto frágeis, incapazes de atividades pesadas... Pura mentira! Tanto mulheres quanto cegos são capazes de fazer o que quiserem fazer, e ninguém devia nos limitar.
    Não quero ser repetitivo, mas basta você observar que as oportunidades para mulheres, cegos, homossexuais, etc, sempre são menores do que aquelas oferecidas para pessoas ditas normais. Vamos mudar isso? Bora....
    Abraços, e parabéns pelo texto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entendo sua posição, mas acredito que essa visão sobre as pessoas seja um preconceito causado por falta de informação. As pessoas não conhecem a situação, não sabem como é realmente a vida de uma pessoa cega, e se preocupam com o que elas acham que poderiam prejudicá-los.
      Obs: Tenho a leve impressão de que você é aquele anônimo que aparece aqui de vez em quando, e realmente adoraria te conhecer, mas seu perfil não está disponível rsrs

      Excluir
    2. Oi Amanda; desculpe a demora enorme em respondê-la. Só hoje vi que você havia respondido meu comentário, porque nem sempre entro no blog. Sobre os cegos, você tem total razão. Falta de informação é a grande vilã, embora não a única. Sobre os comentários anônimos, algumas vezes eu comentei anonimamente, porque não sabia que poderia comentar com a conta Google. Quando estou no celular, às vezes o Firefox não deixa comentar com o perfil Google, sei lá o motivo... Mas quando estou no computador, procuro comentar com minha conta. Meu perfil não está disponível? Agora é que eu reparei, e vou lá no Blogger arrumar isso.
      Esse texto que você escreveu me inspirou para escrever, em meu blog, texto um tanto semelhante. Se quiser ler, vou deixar o link. Aproveite e leia os outros artigos, quem sabe você goste. Eu geralmente escrevo sobre livros ou sobre deficiências, são meus dois temas mais frequentes.
      http://lucasantoniocwb.blogspot.com

      Excluir

E aí, o que achou do post? Gostou? Odiou? Achou uma bosta e tá a fim de dizer que sou um lixo, me mandar pra puta que pariu? Comenta aí!

Obs: Não pagarei seu cardiologista nem seu psicólogo/psiquiatra caso acabe precisando.