Como a Netflix destruiu o Death Note

CUIDADO: TEM SPOILERS PRA CARALHO

Você já assistiu o anime Death Note? Há um tempinho a Netflix lançou um filme baseado na história desse anime, porém, os fãs do anime não ficaram muito felizes com o resultado da produção (e com razão).
Pra quem não conhece a história original, Raito (ou Light Yagami), era um adolescente japonês entediado que encontrou um Death Note no chão de sua escola. Nas instruções dizia que se você escrever o nome completo de uma pessoa nesse caderno e tiver o rosto dela em mente, essa pessoa morrerá em aproximadamente 40 segundos. A princípio ele não acreditou, óbvio, mas quando ele testou, acabou dando certo.
Depois ele descobriu que o Death Note tinha um dono: Ryuku, o shinigami (deus da morte), havia "perdido" o caderno porque também estava entediado no céu dos shinigamis (que não é o céu que muitos cristãos acreditam, mas também não é o inferno).
No começo, Raito queria fazer uma limpa no universo, removendo todos os responsáveis por espalhar o mal. Ele queria ser reconhecido por isso e se tornar o Deus de um novo mundo, porém, quando a polícia percebeu que os criminosos estavam morrendo em uma quantidade estranha, logo suspeitaram que tinha alguém por trás dessas mortes, e começaram a investigar para descobrir quem era o culpado. Ao perceber que os seus atos não surtiram o efeito desejado, Raito manteve sua identidade em segredo e não revelou a ninguém que possuía um Death Note (mas continuou matando todos os criminosos, e também qualquer pessoa que se enfiasse em seu caminho). 
O protagonista apresentava as características de um verdadeiro psicopata: frio, calculista, sem remorso nenhum, inteligente e um ótimo estrategista. Ele era um gênio.

Como os policiais tiveram dificuldades em desvendar quem era o responsável pelas mortes em massa de criminosos, resolveram convocar um detetive tão genial quanto o Kira (que era o pseudônimo anônimo inventado por Raito para assumir os créditos de seus assassinatos). Esse detetive se auto apelidava de "L", e ninguém sabia seu verdadeiro nome. 
L possuía algumas peculiaridades que os fãs do anime adoravam (inclusive eu): sentava sempre na posição de cócoras (mesmo quando foi fazer o vestibular kkk), só comia doce e possuía um cabelão enorme e bagunçado, dando a ele uma aparência selvagem.

Agora vou explicar por que os fãs do anime detestaram tanto o filme. Simples: a Netflix destruiu totalmente a história.
Muitos reclamaram porque o L no filme é negro, sendo que no anime ele era branco (óbvio, ele era japonês), e consequentemente foram considerados racistas. Eu também não gostei do L no filme, mas não tem a ver apenas com a cor da pele (o que seria um motivo muito vazio e preconceituoso). Como eu disse, o L tinha características especiais que faziam dele o personagem favorito de todos os fãs. Tirando apenas duas delas (o cabelo e a cor da pele), o personagem já não era mais o mesmo. Sem falar que no filme o L era muito histérico e sentimental, e no Anime ele nunca gritava. O tom dele era geralmente monótono e ele era um tanto quanto depressivo, pois não tinha amigos.
Mas se engana quem acha que o L foi o único personagem que foi estragado: o Kira era um gênio no anime, porém, no filme, ele era um bostinha chorão (e o gritinho dele era ridículo, parece eu quando vejo uma barata). Ele era fraco, não era estrategista como o personagem original.


Outros quesitos:
  • No anime, Raito tem uma família completa: mãe, pai e até uma irmã (só que ele passa mais tempo no quarto do que com eles). No filme, ele não tinha mãe pois a mesma havia morrido de forma trágica, e ele se sentia chateado com o pai, pois achava que o mesmo havia agido com desdém em relação à morte dela. E ele não tem irmã.
  • No anime, a Mia não existe. Raito não dividia seu segredo com ninguém (a não ser seu shinigami) até a segunda temporada, quando surgiu um segundo Kira e ele descobriu que era uma mulher: Misa Amane. Ela era pouco inteligente, e bastante efusiva por sinal (mas era muito engraçada). No filme, tem toda uma relação romântica e traiçoeira com a tal da Mia.
  • No anime, o Raito finge ser amigo de L para despistá-lo, descobrir seu verdadeiro nome e colocá-lo no Death Note. L morre segundos depois de descobrir que seu "amigo" era o Kira. Depois que o L morre, surgem dois substitutos: Mello e Nero (M e N). Sim, eles também tinham suas peculiaridades apaixonantes. No filme, Light (Raito) e Mia escrevem os nomes um do outro no Death Note e o único sobrevivente é Raito (porque uma terceira pessoa usou o Death Note para ajudá-lo). Enquanto o burro do L estava fazendo uma vistoria ilegal no quarto de L, procurando por um livro de cálculo (ele não sabia da existência do Death Note e achava que as mortes ocorriam com alguma espécie de cálculo, pois Light tentou convencê-lo disso em uma conversa).
Enfim... deu pra perceber que o filme é uma história completamente diferente da do anime, né? Alguns disseram que isso é um ponto positivo porque eles não queriam assistir a mesma história duas vezes. Em partes eu concordo, mas acho que mesmo se fosse pra fazer algumas mudanças, a história tinha que ficar tão foda quanto a original, mas ela não chegou nem aos pés.
E você, o que acha? Dê sua opinião aí nos comentários ;)

Share:

0 Fumados comentaram aqui

E aí, o que achou do post? Gostou? Odiou? Achou uma bosta e tá a fim de dizer que sou um lixo, me mandar pra puta que pariu? Comenta aí!

Obs: Não pagarei seu cardiologista nem seu psicólogo/psiquiatra caso acabe precisando.